Editorial do informativo paroquial: Cefas – Junho/2018

Estamos vivendo um tempo muito forte e especial. No Brasil, um ano de eleições. Este quadro ainda não se clareou para o povo brasileiro; não temos ainda diante de nós um quadro que seja alentador e que indique uma nova e grande esperança. Neste contexto o tempo é de muita análise, seriedade e acima de tudo uma consciência que sintonize com a nossa responsabilidade.

No ambiente da nossa fé cristã, estamos vivenciando o ano dos leigos. Um momento muito privilegiado para crescer na consciência e na alegria de sermos trabalhadores na vinha do Senhor. Todos os cristãos estão recebendo um chamado muito forte para a consciência, para o estudo, para o trabalho, para a alegria de fazer produzir bons frutos em favor da vida mais digna e fraterna. Podemos ligar a este tema a exortação apostólica do Papa Francisco: Gaudete et Exsultate que convida a viver o chamado à santidade no mundo atual. O Senhor escolheu a cada um de nós para sermos “santos e íntegros diante dEle no amor” Ef 1,4. Comprometidos com um povo, cultivando a santidade que é o rosto mais lindo da Igreja.

A nossa cidade, a paróquia, a comunidade, a família… Como estamos? Que esperança estamos vivendo? Em nosso planejamento, recolhendo as sugestões das pastorais, das comunidades, dos grupos, colocamos como objetivo vivenciar o ano dos leigos, crescendo na organização e na consciência de que somos uma paróquia, uma comunidade de fé. Na avaliação de psicólogos e antropólogos, estamos numa época de grande negativismo; facilmente falando mal, criticando e sempre culpando os outros dos problemas que nos rodeiam. A saída será trabalho, união, esforço e esperança. Desta forma estaremos plantando as sementes da paz, do amor, da alegria… Mais dia menos dia haveremos de colher os frutos de um mundo melhor para todos. É preciso ir espalhando a boa semente nesta esperança.

Tendo celebrado o tempo pascal, com fé, tendo acolhido os dons do Espírito Santo, somos chamados a viver, de modo digno e santo, a vida que Deus nos deu.

Pe. Celestino Fritzen