Fonte: www.cnbb.org.br

Dom Aloísio A. Dilli
Bispo de Santa Cruz do Sul (RS)

Caros diocesanos. Já estamos na segunda semana do Advento – tempo que a Igreja chama de feliz e piedosa expectativa – em preparação ao Natal. Já sabemos que a liturgia do Advento nos convida a celebrar as duas vindas de Jesus Cristo: aquela que vai acontecer no fim dos tempos e a que já aconteceu com a encarnação, que chamamos Natal. Sem preparação não existe verdadeiro Natal. Por isso a Igreja se preocupou, desde os primeiros séculos do cristianismo, em propor um tempo de preparação, chamado Advento.

Vivemos atualmente um tempo de secularismo acentuado, sobretudo pela sociedade de consumo, que invade nossas famílias, comunidades e a sociedade em geral, de modo particular pela grande Mídia. A festa do Natal é sempre mais paganizada com verdadeiras invasões da figura comercial do Papai Noel, carregado de presentes, como símbolos da felicidade que se pode comprar, e a consequente descristianização do verdadeiro sentido da festa natalina, em que o protagonista da felicidade salvadora da humanidade é Jesus Cristo, o Deus-Menino, nascido em Belém, e que vem ser Deus conosco (Emanuel). Dentro desta realidade de um Natal sempre mais pagão, ou seja, de ausência da figura central de Jesus Cristo, a Igreja convida seus fiéis a recuperarem o verdadeiro sentido do Natal, oferecendo oportunidades de encontros, subsídios e celebrações, tanto para preparar como para celebrar o nascimento de Jesus Cristo em nosso meio.

Além das celebrações próprias e tradicionais da liturgia do Advento, a Igreja do Rio Grande do Sul oferece para as dioceses um roteiro de encontros e celebrações para que as famílias ou outros pequenos grupos possam reunir-se, ouvir a Palavra de Deus (Leitura Orante) e rezar juntos com o objetivo de preparar e celebrar o Natal cristão, também recuperando os verdadeiros símbolos natalinos, sobretudo as figuras principais do presépio: Jesus, Maria e José. Para o Advento-Natal 2018 os roteiros propõem quatro verbos bíblicos para reflexão, oração e missão:

  1. Natal é acolher: “Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa” (Ap 3, 21);
  2. Natal é dialogar: “Eis aqui a serva do Senhor! Faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc 1, 26-38);
  3. Natal é cuidar: “José agiu conforme o anjo do Senhor lhe ordenara e recebeu Maria em sua casa” (Mt 1, 24);
  4. Natal é encontrar: “Encontrarão um menino envolto em panos e deitado numa manjedoura” (Lc 2, 12).

Junto com os quatro roteiros, encontraremos a bênção da porta de nossa casa com o símbolo do presépio, assim como a bênção do Menino Jesus; seremos também convidados para uma Celebração da Penitência e para participar da coleta da Campanha da Evangelização.

Informe-se na sua comunidade e adquira seu kit (preço simbólico) para ter um símbolo natalino cristão na porta de sua casa e participe de algum grupo, preparando seu Natal e de sua família. Participe da campanha da recuperação dos símbolos cristãos do Natal. Que o Papai Noel nos perdoe e ceda o verdadeiro lugar do protagonismo do Natal ao Menino Jesus, nos símbolos e no coração de nossa vida cristã.